Machu Picchu

A cidade perdida de Machu Picchu

Machu Picchu, a cidade sagrada dos incas, uma das sete maravilhas do mundo e, com certeza, um dos destinos que mais mexe com a imaginação das pessoas. Confira nossas dicas, prepare as malasMa e se jogue nessa aventura!

A cidade perdida de Machu Picchu

Machu Picchu é patrimônio da humanidade pela Unesco e um dos sítios arqueológicos mais importantes do mundo. Subir até as suas ruínas e observar essa impressionante obra de arquitetura diante da grandiosidade dos Andes é uma experiência de tirar o fôlego, literalmente.

A cidade recebe milhares de visitantes por dia entre mochileiros, montanhistas, trekkers e aventureiros de todos os lugares do mundo. Os tours mais completos levam de 4 a 5 dias para quem quer percorrer
as Trilhas Inca ou a Salkantay a pé.

Se você não tem disposição para tanto, não se preocupe, existem passeios mais tranquilos que levam de 3 a 5 horas para percorrer toda a extensão das ruínas. É preciso certo preparo físico, pois o sobe e
desce nos degraus é constante e cansa bastante.

Os primeiros 20 minutos de subida são os mais exigentes, mas você pode já parar por ali e ficar admirando a vista mais conhecida de Machu Picchu, saiba que já valeu a visita.

Para os mais aventureiros, existe ainda a possibilidade de escalar as montanhas de Huyana Picchu e Machu Picchu.
Quem foi diz que não se arrepende!

Até ano passado você não era obrigado a contratar um guia para explorar as ruínas, porém o Ministério da Cultura peruano anunciou que agora passa a ser necessário.

Polêmicas à parte, vale a pena o investimento, pois os guias oficiais credenciados ajudam a contextualizar tudo o que a cidade inca representa, imaginar as funções de cada construção e explicar a engenharia aplicada ali.

Quando ir a Machu Picchu

A melhor época para visitar Machu Picchu é no período de abril a setembro, quando há menor risco de chuvas. Nos meses de férias do hemisfério norte, julho e agosto, você vai encontrar muitos turistas,
prepare-se para um festival de gente rodando as ruínas. Evite janeiro e fevereiro porque é a época que mais chove e o seu passeio com certeza ficará comprometido.

Como chegar lá

O melhor caminho é seguir de avião do Brasil para Lima, capital do Peru, depois para Cusco. Em Cusco existe a opção de continuar o trajeto de ônibus, táxi ou transfer até as cidades de Poroy, Urubamba ou Ollantaytambo.

A próxima parte da viagem é de trem até Aguas Calientes e finalmente o
ônibus que te leva até Machu Picchu. Pois é, ninguém falou que seria fácil! Por isso o ideal é que você reserve pelo menos uns 10 dias por lá.

Bate e volta no mesmo dia é impossível, pois as distâncias são grandes e a viagem de trem ou ônibus não é das mais confortáveis. Programa uma pernoite em Aguas Calientes para chegar ao seu destino final, Machu Picchu, bem descansado.

Águas Calientes

Aguas Calientes é o povoado mais próximo de Machu Picchu e você vai achar, a primeira vista, que o lugar é uma bagunça. O vilarejo nasceu em função dos aventureiros que chegaram pela trilha inca e precisavam passar a noite em algum lugar antes de seguir para Machu Picchu.

É uma cidadezinha caótica que cresceu sem nenhum planejamento, mas a vibe é das melhores. As opções de hospedagem são diversas, há os hostels com certo nível de conforto e também os hotéis de luxo com quartos cheios de design, jacuzzi ao ar livre, massagens, etc.

Aproveite o final do seu passeio em Machu Picchu para relaxar nas águas termais que deram o nome à cidade (Aguas Calientes). Basta subir o calçadão da Pachakutek até o final.

About the author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *